Total de visualizações de página

Páginas

terça-feira, 7 de agosto de 2012

CONSTRUINDO MEU ATELIÊ COMEÇANDO PELA ENTRADA E CHEGANDO POR ENQUANTO ATÉ A SALETA PARA RECEBER VOCÊ COMO VISITA...


Oi pessoal !
Hoje resolvi postar algo da minha vida, quero mostrar mais um pouquinho de mim, então resolvi mostrar o ateliê que eu mesma aos pouquinhos do jeito que vai dando eu estou construindo.

Bom, após a postagem do banheiro todo reciclado, todos ficaram sabendo que o meu sonho era construir um ateliê baseado nas cores favoritas da Frida Kahlo (minha ídola de coração), que eram azul, verde, amarelo e vermelho e agora com a frente feita e a saleta de entrada em fase de decoração eterna...rs, eu resolvi mostrar o quanto louca eu fui.
Criei tudo sozinha, pus a mão na massa, arrumei um super ajudante o Chiquinho, pessoa maravilhosa,  que diz sempre que o melhor é trabalhar junto que separado, e enquanto o Chico recorta a parede com a tinta eu vou pintando o restante, pode acreditar!
ADOROOO  transformar e criar, e logo já começava a aparecer o espaço de meus sonhos para eu trabalhar todo RECICLADO, com o seguinte lema, nada se joga fora e sim se muda, se transforma..., Lembra??? 

            Portanto, é com muito prazer que eu apresento desde o seu início : 
             O ATELIÊ VIDA CACARECOS E RECICLAGENS!


E ai esta ele em seu primeiro dia.
                                                

E abrindo a porta a saleta estava desse jeito...sem luz, sem lustre e com muitos bagulhos, quase nem dava pra entrar.
                                        
 


Mas como limpeza faz milagres...rs!
Vassouras atacar!

Usei muita tinta branca em todas as paredes para poder ampliar o espaço pois vou te contar um segredinho, o ateliê só tem 54m²
Atinta vermelha foi para as portas e janelas e a amarela para os batentes e esquadrias

 

Após pintura a óleo feita:

Portas e janelas foram encaixadas, e olhando de longe acho que o meu cantinho já ganhava vida...



                            A parede esterna levou tinta Verde Folha e o rodapé Azul Cobalto.


Mais como mulher sempre fica em duvida, pra variar eu troquei o rodapé por Azul Claro. O que sobrou do chão do banheiro e da cozinha eu quebrei em caquinhos e fiz um chão da entrada com um super mosaico onde passei argamassa cinza escura entre os cacos para destacá-los e é obvio que lembrei do chão da varanda da minha vozinha, só que a dela era toda de caquinhos coloridos, lembram desse chão? Acredito que quase toda criança brincou sobre ele. 


E aí começam a chegar os primeiros enfeites recicláveis como este Garrafão de vinho com um bambu da felicidade dentro.  


E uma parada pra ver como ia ficando a obra, máquina na mão e um flash dispara lá de cima para registrar o conjunto da obra.


Outro enfeite reciclável chegando! Um pratinho de barro de plantinhas com o santinho cortado e colado no meio todo delineado em volta com tinta de artesanato e verniz spray para dar durabilidade e é óbvio que tinha de ser São José o padroeiro dos artesãs e carpinteiros.


Que tratei logo de pendurar na na porta na entrada para agradecer o dia que sempre se inicia


Cortei uma garrafa de vinho e pendurei com um pedaço de corrente em um porta plantas pintado de amarelo para iluminar a entrada a noite, para completar pendurei um Espírito Santo para a proteção e uma ferradura para dar sorte na criação é claro! E estes dois infelizmente não fui eu que fiz, seria reciclagem demais, ou melhor,  mentirinha demais...hehehe... 



Do lado da porta  na parede inventei esse conjunto de bromélias, uma ficou amarrada em um galho de árvore que pendurei, e como tinha achado esse pedaço de treliça no lixo, passei seladora e verniz e resolvi usá-la para prender mais bromélias, nos dois cubos de casca de coco coloquei as  de cor vinho e prendi mais  outra verde entre elas, e arranjei mais um galho com mais outra para compor o ambiente.



     E olha de longe para ver como ficou.




Tá vendo agora lá no fundo a porta aberta? Entra pode entrar e vem conhecer a minha saleta aposto que vai encontrar mais coisas recicladas.


Bom pra começar acabei passando o garrafão com Bambu para dentro bem no canto da entrada, pois no rótulo tem escrito o nome do meu irmão ( VICTOR)  e  mesmo que tenha passado verniz spray para mante-lo desisti de deixá-lo ao relento. 


Outro São José, só que este foi um presente e como queria mantê-lo no alto logo na parede da lateral na entrada eu o pus em uma saboneteira, achei bastante interessante, mas como a gente que recicla acaba sempre fazendo outras coisas...



Substitui a saboneteira pela gaveta que aprendi a fazer no curso de marcenaria do Vagnon (que aliás é o máximo!) e nela também estão dois vidros de perfume com flores sempre vivas para dar um charme.


Olhando para o teto, o lustre foi criado através de uma Caneca de Ágata e pendurado com um fio de som na cor vermelha, na caneca existem flores pintadas e perto delas estão dois imãs de borboletas que garanto que não caem, aliás, imã é imã.


Essa é a Maria gorducha feita de resto de pano e preenchida com areia para servir de peso de porta, veja como ela é vaidosa? Usa óculos de Sol e tudo!

E além de vaidosa ela é muito culta, pois quando não está segurando a porta , esta tomando conta das minhas revistas de decoração que ficam neste caixote de feira bem ao lado do sofá.



Ah isso aí quem adivinhar eu faço outro e dou de presente, pois garanto que é diferente e bem usual.


É o meu porta-chaves feito de tampa de chaleira com três parafusos para nunca perder a chave de meu ateliê  ou outra que nele pendurar, e  se reparar bem o chaveiro que está nele é feito com várias linhas de bordar ou de lã o que for melhor pra você, onde na ponta são presas miçangas que podem ser de sua cor favorita para enfeitar, após as cordinhas feitas basta dobrar ao meio e amarrá-las deixando a ponta com um espaço para por a presilha de chaveiro, fácil né?


Entre a porta da cozinha e a do banheiro eu pendurei um jogo de aparador de panelas feito de mosaico que estavam guardados a muito tempo e sem uso e que se alguém vier ao ateliê e quiser comprá-los é só falar que eu vendo rapidinho.


E de longe tudo que ia pro lixo, gaveta, aparador de panela, tampa de chaleira, vidro de perfume, garrafão de vinho, caixote de feira, juntos ficaram assim!


Ah também não posso esquecer de meu sofá, ele hoje usa as minhas cangas com pinturas do chicletes Adam´s e do Biscoito Globo para cobrir os estofados, que a minha vizinha querida ia jogar fora, já imaginou ele na lixeira ?  Foi só pintar de branco e escolher umas cangas bem legais que o problema  ficou resolvido, que bom pra mim né?!



O chão como o dinheiro é curto eu fiz de cimento queimado e para dar um acabamento bacana na decoração eu pendurei uma porta de armário com espelho que foi retirado de um armário de 1950 e que pra variar estava indo pro lixo por causa do cupim, mas esse espelho não dava para fingir que eu não tinha visto, e na parede lá foi ele ficar.


Na saída já trancando a porta achamos a chalerinha que apesar de perder a tampa para as minhas chaves,  nela foi plantada Angélica que dá florzinha roxa, uma graça!


Por fim, para você  nunca esquecer o número do ateliê e poder me visitar, prendi uma plaquinha de madeira que pintei com muitas florzinhas e nela colei  todas as pedrinhas brasileiras do colar de minha mãe que ela não usava mais, e que vivia sempre reclamando e dizendo que ficava muito pesado em seu pescoço, ah...tadinha...rs! 


FIM!


Gostou? Se quiser me ajudar a continuar a construir e enfeitar o meu ateliê, e tiver um opinião para dar, eu aguardo. Será muito bem vinda e tenho certeza que vai ajudar!
Só não repare a simplicidade, porque a casa é sua pode entrar!!!

: - )
Postar um comentário